sábado, 21 de agosto de 2010

Vamos falar sério - Mulheres que não se valorizam

Hoje, vi os mais de milhões de comentários que as pessoas tem destinado à ex-mulher do Dado Dolabella que confessou ter apanhado dele. E que teriam sido muitas vezes. E isso, claro, depois de ela SABER que ele havia batido na ex, a Luana Piovani, coisa que foi escândalo na época. Daí que não agüentei, e precisei fazer outro post seguido ao meu anterior. Sério, não deu.


Mundo das celebridades à parte, eu tenho umas ressalvas a dizer sobre isso: WTF, MENINAS? WTF?

O cara agride você. E aí, depois de um tempo, você decide contar pro mundo que ele não só batia, como batia muito? Peraí... Peraí, pô!

Não me lembro o nome de uma certa autora, que uma vez elaborou uma tese a respeito da culpa que os JUDEUS tinham no holocausto. Isso aí, pasmem: UMA PARTE CULPA DOS JUDEUS! Dentre os muitos argumentos que ela usava, estava um fato que, sinceramente, acho bem simples e concordo plenamente: a submissão. Era uma nação dizimando outra. E meu Deus... Era para ser simples assim? Era para eles entrarem num trem fedido, contra a vontade, porque alguém mandou? Por que os judeus demoraram tanto para se rebelar, espernear, guerrear, morrer se preciso, pela sua dignidade? Eles tinham chance de ganhar, se tivessem feito algo. É polêmico, é doído, mas pensem nisso: ficar calado, não é só uma ação de medo, é praticamente uma burrice.

Todas as pessoas, por pior que elas sejam, possuem uma história. Nasceram, cresceram. Tiveram uma infância, às vezes muito, outras nada, algumas pouco doloridas. De certo foram amamentadas, amadas por alguém. E daí que nada disso, ABSOLUTAMENTE NADA DISSO, passa pela cabeça delas quando um cara lhes dá um soco na cara?

Primeiro: Ele já havia batido em alguém antes. Minhas amigas, o currículo pessoal de um homem com quem vocês pretendem ter um relacionamento é infinitamente importante. Se ele já traiu, teve filho fora do casamento, ou SE ELE JÁ BATEU EM ALGUÉM, o que a faz pensar que ele faria diferente com você?

Ok, mas você o ama e quer tentar. E na primeira recaída dele, ele bate em você. E você fica calada, dando a ele a chance de fazer de novo.

Quando mais jovem, sofri uma tentativa de abuso. Compreendo perfeitamente que, quando sentimos medo, temos tendência a nos calar, e aceitamos a humilhação, às vezes a custa de muitas ameaças, coisa que, graças a Deus, não aconteceu comigo. Mas eu não consigo imaginar, simplesmente não consigo admitir um alguém que aceite ser um cão chutado toda a vida. Em algum minuto o sangue ferve, a dor fica amarga demais, a raiva da indignidade sobe à cabeça e a gente precisa partir para a ação: ou eu ou ele.

Homens que se sentem felizes batendo em mulheres são escondidos pelo medo das mesmas. Dado Dolabella e um milhão de covardes por aí precisam estar presos. E se não estão, é porque muita mulher ainda não reconhece – ou em algum momento esqueceu – seu real valor.

Por favor, leitoras queridas, jamais admitam que alguém tente usar a força sobre vocês para mostrar superioridade.

Sabedoria não tem nada, nada, nada, ABSOLUTAMENTE NADA a ver com superioridade.

Amor também não.

Amor próprio muito menos.





Por Lety

12 comentários:

Caroll Marinho disse...

é, realmente é triste o índice de mulheres que apanham dos parceiros e resolvem deixar por isso mesmo...

espero que as mulheres não se submetam a esse tipo de tratamento e realmente denunciem... hoje pode apanhar, amanhã pode ser um assassinato.. cruzes!

já chega, né?

21/8/10
Naiara e Letícia disse...

E o pior é saber que muitas delas não contam por medo de morrer... Como se, ficando caladas, de alguma forma, impedissem isso acontecer.
Um cara que bate na mulher que diz que ama... E ainda mata... Só merece desprezo.
Blé!

21/8/10
Cezar disse...

e tem mais... que homem é esse que se faz valer pela força? completa demonstraçao de mediocridade. nao sabe como agir com uma mulher e deixam o instinto (que dificilmente é visto até mesmo no reino animal)falar mais alto. nao sabe como tratar uma mulher, nao procure uma. #Raiva

21/8/10
Naiara e Letícia disse...

Em tempo: Muitos autores escreveram sobre a possível culpa dos judeus no holocausto.
Não encontrei o nome da autora à qual me referi, mas achei o de um historiador muito famoso que também dissertou a respeito: Raul Hilberg.
Polêmicas à parte, mesmo não sendo essa triste ocorrência dos judeus o centro do que tentei falar, talvez alguém se interesse em ler. Ao menos expõe o ponto de vista no qual não existe uma pessoa completamente inocente em uma história. Calar-se ou omitir-se também é, em parte, pender-se para o lado errado.

21/8/10
Naiara disse...

Acho que o silêncio é a vergonha. Vergonha de apanhar, vergonha de amar a pessoa que bate, vergonha de mostrar para a sociedade a fragilidade em ser mulher, vergonha da mãe ou o pai descobrir, e saber que a menininha deles foi submetida a algo tão humilhante... acho que são inúmeras sensações envolvidas.
Ela demorou a falar mas falou... triste é saber de tantas por aí que ainda não falam, talvez nunca falem.
Fica uma boa dica a todas as leitoras: fiquem atentas aos moços agressivos!

23/8/10
Yuu... disse...

sinceramente, o primeiro tapa eh covardia, mais o segundo é merecido! Nao tenho pena de uma mulher que apanhou mais de uma vez!

23/8/10
Humberto aka humbias disse...

Dado é cheirador pesado de pó, fica doido com facilidade (Basta ver o vídeo da briga dele com João Gordo). Ele não é normal. Aliás, um cara que bate em mulher não pode ser normal....

24/8/10
Naiara e Letícia disse...

Humberto,
Concordo com vc, ele é super cheirador mesmo. Mas isso não justifica. Acho que a sua segunda frase tem mais a ver com a coisa - homem que bate em mulher não pode ser normal - e eu acho que não é mesmo. Alguma coisa deve existir por trás disso, algum problemo psiquiátrico sociológico que merece ser tratado. Ou, apenas um cara muito idiota, que merece ser ignorado.

24/8/10
Naiara e Letícia disse...

Nem sempre é assim, Yuri... Eu tenho um exemplo pessoal de uma pessoa que fez algumas cagadas por causa do alcoolismo. Todos nós ficávamos indignados com a tolerância ridícula, aquilo não podia ser amor. Mas, era um amor que compreendia as bases da doença e que, mesmo com muitos indo contra, conseguiu vencê-la.
Sem conta o número de mulheres que vivem ameaçadas, precisam proteger seus filhos, são perseguidas, etc, etc...
Mas, uma coisa é certo sim: Se a pessoa toma uma providência, e depois a coisa torna a acontecer, o grau de burrice já está aparecendo mesmo.

24/8/10
Anônimo disse...

Tanto homens que partem para a agressão fisíca quanto a agressão moral são ridículos e não sabem tratar uma mulher. Todos os dois tipos são ascos da sociedade moderna.

24/8/10
Yuu... disse...

Independente de serem homens ou mulheres, o simples ato de violencia é feio, nojento, absurdo! É algo que me dá vertigem, qnd vejo uma crianca apanhar pela mae, mulheres brigando, gangues, briga de bar e pior ainda, homens batendo em mulheres! O barulho de um soco visto pessoalmente é horrivel. Presenciei isso dentro de um onibus que ia de Sao Paulo pra Petrolina. O nordestino bruto (bruto mesmo), bateu, gritou e xingou a viajem inteira a sua mulher. No primeiro momento chorei por pena e por querer fazer algo para ajuda-la, mais depois da decima hora de viajem (tudo piorava), e a mesma raiva que eu sentia inicialmente do cara, foi tranferida tbm para a pobre coitada! Ela era passiva demais, uma boneca morta... ela ja tinha aceitado essa condicao e tava na cara q iria viver assim... SUBIU MEU SANGUE!

1/9/10
Valentina, uma mulher que fala disse...

A MULHER TEM QUE ENCONTRAR O SEU VALOR A SI MESMA PARA SE VALORIZAR
Estou indicando este links assim como outros textos que gosto sobre violência doméstica no meu blog.
Parabéns e vamos seguir nesta luta!

MULHERES FORTES LONGE DE homens CHUPINS VIOLENTOS
http://pravocemulheratual.blogspot.com
Livre-se de sofrimentos domésticos e inter-relacionais, porque averá sempre algo melhor fora dali!"
Acesse o Blog e reflita!

19/11/10