sábado, 30 de outubro de 2010

A beleza interior existe!

Como todos – ou uma grande parte – de vocês leitores sabem, essa que vos fala é uma mulher tamanho GG. Mais uma dentre essas milhões de mulheres que hoje estão por aí, na maioria das vezes, infelizmente, tentando se esconder.

O objetivo do meu texto de hoje, portanto, é trazê-las à tona. Longe de mim aqui querer tratar sobre temas individuais e polêmicos como saúde, bullyng, etc. e tal, até porque lançaria mão de problemas que vão muito além da obesidade por si só e dariam textos para mais de dois dias.

Portanto, o meu mais simples desejo é falar sobre beleza – outro ponto que vai muito além de obesidade.

Como poucos de vocês leitores sabem, essa que vos fala irá se submeter – em breve, eu espero – a uma cirurgia bariátrica, aquela para redução do estômago. Antes que me atirem pedra e digam: “Quem é você para falar de gordinhas, se está tentando deixar de ser uma?” vou lhes garantir: essa decisão foi a que mais me fez enxergar o quanto sou bela.

Há dentro de nós – magrinhas, gordinhas, altinhas, baixinhas, o que quer que seja – aquele brilho esplendoroso que faz de nós MULHERES. Posso garantir-lhes com todas as letras: quanto mais se acredita nesse brilho, mais bonita se fica e ainda mais bonita lhe acharão todas as outras pessoas.

Tenho motivos inúmeros para operar, e sim, o bem-estar é um deles. Porém, eu jamais o conseguiria apenas emagrecendo. Amor próprio é algo que precisa partir de dentro para fora. Não interessa se você está com seus quilos a mais ou numa magreza que imita anorexia. Se você não apreciar sua própria companhia, jamais conseguirá sair desta condição.

Então, faça-me um favor: estique o sorriso até os cantos das orelhas. Coloque sua melhor roupa, aquela que valoriza o tamanho do seu bumbum e enfeite-se com aquele brinco elegante que alonga o seu rosto. Tente se equilibrar naquele salto chiquérrimo ou permaneça com aquela rasteirinha linda que combina com seu vestido novo de verão. Beije-se todos os dias pela manhã, abrace-se pela noite. Permita que uma gigantesca auto-estima venha dormir ao seu lado e acordem juntas com disposição renovada todos os dias.

E quando esse pouquinho de amor pelo que você é surgir, deixe que ele engrandeça. Não o reprima, traga-o para a luz e deixe que as pessoas o admirem. No fim das contas você perceberá que amar-se não irá fazer com que você estacione em qualquer condição, mas naturalmente irá transformar a capacidade de mudança – seja ela qual for: física, mental, espiritual ou mesmo de ares. Você irá querer mais e melhor, mas como já se ama, não irá sofrer durante a caminhada ou permanecer no chão quando inevitavelmente cair.

Se juntar todas as pequenas coisas que lhe incomodam, isso se tornará um peso tão obscuro que impedirá que enxergue seus pontos positivos. E aí, não interessa se você conseguir tudo o que quiser, estará sempre sentindo falta de algo – porque não alcançou a plenitude que vem de dentro.

Aprendemos desde sempre a impor condições para ser feliz: quando eu for magra, serei feliz; quando eu for bonita serei feliz; quando eu tiver os seios maiores serei feliz, quando eu conseguir um namorado serei feliz, etc. Ninguém jamais lhe ensinou que felicidade é independente de condições, ela simplesmente é. Não se encontra durante uma plástica ou se esbarra com um homem que a traz nas mãos. Ela já existe, lhe pertence e é plena. Um presente embrulhado em laço de fita que você ainda não ousou abrir.

Dê uma faxina aí nesse coraçãozinho que anda cabisbaixo. Não poupe o mundo de seu melhor, e acredite: o melhor está esperando por você.

Por Lety

P.S: Enfeitei esse texto com as fotos de lindas modelos plus size, exemplo de delícia em tamanho grande. Uma homenagem que permiti fazer a mim mesma, de uma mulher feliz para outras mulheres felizes.

E nossa vencedora do sorteio, a Viviane, já acabou de ler o livro, acreditam? Fiz questão de colocar em rodapé aqui a opinião dela a respeito, que a mesma me passou por MSN. Pra vocês verem como o Batom só indica coisa de qualidade!

O livro "Kika, a estranha" é a mais pura realidade! Se a Kika é estranha, eu sou tanto quanto ela! Incrível como ela descreve a sua (nossa) reação diante de tamanha ingenuidade. Ainda bem que isso não dura para sempre e ela consegue perceber as furadas em que está se metendo e... Ela entra assim mesmo! Hahaha Bom, identifiquei-me com ela por ter igualmente um trauma (só que de adolescente, em que minha ingenuidade deixou que eu fosse desprezada na escola). De qualquer forma, adorei ver que não sou a única que passou por tantas coisas até aprender a não cair na lábia de mal intencionados ou dos que se dizem amigos e, na verdade, querem OUTRA coisa. Parabéns pelo livro, Kika! Beijos! Vi.

Aew, Vi!
E fiquem de olho, pessoal, que teremos outros sorteios, hein?
Ah, e essa semana descobrimos que o blog teve visualizações do Reino Unido, Vietnã e até do Paquistão, olha que chique! Um abraço aos leitores de longe! E aos de sempre perto também... \o/

9 comentários:

C.P. disse...

Aeeeeeeeeeee! O texto ficou excelente! Adorei a forma como você o escreveu, Lety! Beijos!

30/10/10
Cecília disse...

Arrepiei... Merece aplausos... E de pé!

30/10/10
Kika Salvi disse...

Letícia, que texto gostoso de ler. Leve, delicado e tão honesto que é impossível não se comover. Você é corajosa e doce - poderosa mistura de atributos. Parabéns. Bjs, Kika.

30/10/10
Naiara e Letícia disse...

GENTE!
Eu estou tão emocionada com os comentários de vocês que.
Não tenho palavras para agradecer, sério.
=,) - Sorriso tá escancarado.

30/10/10
Anônimo disse...

bem eu num sou a kika salvi e talvez vc me mate por escrever aki hahaha (como se vc pudesse); mas vou fazer uma confissão; eu sou a pessoa mais prejudicada nessa história d cirurgia pq serei o unico tamanho gg agora; e os bolos d madrugada pizza sorvetes vão fazer muita falta e ai d vc se disser q eu preciso emagrecer kkk;
e sendo redundante como não sou a kika vou plagear um ídolo
"...mulheres confusas, de guerra e de paz, mas nem uma delas me fez tão feliz como vc me faz...."
ah vc tá devendo recolocar o texto no meu orkut

bjo

ps:
quer lasangña?

30/10/10
Naiara e Letícia disse...

KKKKKK...
Pois é, galera, apresento-lhes o meu irmão. =P
Não, obrigada, não quero lasangña - e vc fica aí gastando essa linguagem erudita.
:P

31/10/10
Naiara disse...

Adoro ver você falando assim! Tão feliz!

Um texto pessoal, pelo qual tenho certeza que muita gente se identificou!!!

Lindo texto Lety!!!

1/11/10
Yuu... disse...

posso dizer com todas as pelavras que qnd vc se aceita e se gosta, consequentemente o mundo tbm faz isso!

Sou magro. Mentira, sou muito magro. Mentira, sou pele e osso e ADOROOO ser assim, mesmo sabendo q o padrao estabelecido para homens seja o saradao de academia!

Uso sempre regatas e muitos magrelos como eu me perguntam pq esse tipo de camiseta fica tao bem em mim e nao neles. O fato eh se curtir mesmo e aceitar de coracao q vc eh lindo e tudo mais, alem de ter o minimo de bom senso ne hehe! bju

17/11/10
Gracielle disse...

Bomm... devo concordar plenamente? CLARO. E que ótimo que se sinta assim prima!!! Eu sempre vivenciei isso, tenho amigas super gatas que não se gostam tanto e por isso afastam as pessoas , eu com toda minha gostosura aprendi que a beleza interior existe e depois disso muita coisa mudou pra mim. Hoje to de olho na saúde e não na balança. bjux

24/11/10