sábado, 6 de novembro de 2010

Post nostalgia - as melhores séries da vida de uma garota

Assistia a muito mais séries quando era mais nova, e lembro do que elas representavam para mim, quase uma fase da vida. Tá certo que algumas coisas a gente ama para sempre (tipo o Chaves, né) mas sei lá, televisão é uma linha do tempo quando se trata de mulheres. Somos/amamos/assistimos o que queríamos ter.

Lembram-se da enquete que fizemos sobre séries? Vamos ver o resultado e aproveitar para viver um momento nostálgico.

Punky a levada da breca - Punky era a menina adotada por Arthur, uma iniciante no mundo da traquinagem e alegria. Eu queria muito ser a Punky quando era pequena. Odiava aqueles conjuntinhos certinhos que minha mãe me obrigava a usar, eu queria mesmo era vestir umas tiras coloridas por cima de uma calça jeans, ter um quarto com uma cama gigante e cheio de coisas legais nas estantes e um cachorro lindo que fosse meu melhor amigo. Pronto. Nada de meninos, namoradinhos, estudos, complicações, para quê isso, Deus meu? Sem contar que desde essa época eu olhava para as pessoas, o mundo de uma forma geral, a forma como elas falavam, sentavam, sentiam – que eu pensava que só podia ser adotada. Na enquete, Punky teve 11% dos votos. (Aliás, vocês já viram a GATA em que ela se transformou? Joguem no google e vejam. OLOCO).

Dawnson’s Creek - Ai, aquele rosto lindo do Dawnson e aquele sorriso maroto do Pacey. O roteiro dessa série foi baseado na vida do próprio autor e foi exibida de 1998 a 2003 e contava basicamente a leve vida adolescente de amores platônicos, aventuras e dúvidas mil. Quando era mocinha, vejam vocês, eu já sonhava em um dia ser o amor platônico de alguém, e isso perdura até hoje. Chamem-me idiota. Não, mentira, não chamem que eu choro. =~ Dawson recebeu apenas 7% dos votos.

Gilmore Girls – Vestibular, pensar que encontrou aquele amor de infância que vai durar para sempre, ter uma mãe que às vezes é inimiga, quase sempre melhor mãe do mundo, ter um grupinho de amizade com o qual você muito se parece – apesar de achar-se diferente do restante do mundo. Essa é a fase Gilmore Girls. Um espaço de tempo que tenho muita saudade de ter deixado, porque foi o iniciozinho da felicidade de agora, e vocês sabem, aquele período inicial de frio ansioso na barriga é o mais gostoso de todos. Uma pena que ele não volta. Uma das séries mais saudosas, que teve 18% dos votos. No Brasil, chamada de Tal mãe, tal filha a série que contou a história de Lorelai e sua filha Rory foi exibida de 2000 a 2007 e revelou o astro Jared Padalecki, que interpretava o Dean - namorado de Rory e que hoje interpreta o Sam em Sobrenatural.

Felicity – Sinceramente, acho que a minha vida é Felicity até hoje. Morar sozinha ou dividir um apartamento com uma amiga, estudar numa universidade bacana, ser corajosa, ter algum dom, atrair alguém pelo que você traz dentro de si e não apenas seu exterior. Felicity faz medicina, trabalha para se sustentar, vive entre um amor platônico que se tornará real e um amor real que se tornará platônico. O mesmo roteirista de Letícia, a série na qual eu vivo etc e tal. Geralmente, iniciava-se com Felicity relembrando cenas para contar a sua amiga Sally através de uma gravação e assim desenrolava todo o seu dia e seus anseios. Disparado a minha favorita (por que será?), a série teve quatro temporadas e se encerrou em 2002. Recebeu 11% dos votos.

The O.C - Um estranho no paraíso. A série teve um boom quando iniciou em 2003 com aquela deliciosa rebeldia de Ryan, seu personagem principal, que era uma espécie de garoto do subúrbio vivendo em meio à riqueza. Infelizmente, os autores tiveram a péssima ideia de promover a morte de Marissa Cooper, uma das personagens e amor de Ryan, o que diminuiu a audiência e levou ao fim da série em 2007. Foi lembrada por vocês com 7% dos votos.

Barrados no baile - Cara, o fato de Barrados no Baile ter sido lembrada só por UMA pessoa me faz me sentir uma velha, sério. Quem foi que lembrou? Por favor, se pronuncie, porque você definitivamente é das minhas (velhas, né. kkkkk não, tô de brinks). Pô, mores, qual é? Barrados no baile, cujo título americano era Bervely Hills, foi transmitida de 1990 a 2000 (10 anos, calero, fala sério, vocês se lembram, digam que sim). Contava a história de adolescentes elitistas, mas não numa vidinha superficial, chegava a abordar temas como gravidez na adolescência, drogas e suicídio. Bem... Eu gostava. Essa única pessoa que votou representou os 3% conseguidos pela série.

Friends – Que atire a primeira pedra quem nunca quis ser um adulto tipo Friends. Ter amigos bacanas, aqueles pelos quais você dá a vida (tipo os meus AWWWWN), muita festa, alegria, viagens, sexo, etc. Os saudosos amigos Rachel, Monica, Phoebe, Joey, Chandler e Ross viviam as mais engraçadas loucuras e arrancam até hoje nossos suspiros. A série foi exibida de 1994 a 2004, num total de 236 episódios, sendo o último até hoje o mais assistido de todos os tempos. Teve seu fim na décima temporada, com a promessa de um filme sobre os seis amigos, que infelizmente, nunca chegou. Friends foi de longe a mais votada por vocês, com 37% de predileção.

E se você parar e pensar, não existe uma só série que trate da rotina de uma família normal, ou de um cara que vive sozinho tocando seu piano enquanto a pia de louça suja está quase transbordando na cozinha. Porque qualquer coisa que seja realista demais é chata e não faz sucesso.

A vida sem essa dose televisiva de emoção é uma chatice sem tamanho. Ninguém pode viver sem algum tipo de sonho, desejo, planos, amores, amigos, confidentes, saudade, crença/descrença no mundo. A gente quer algum dinheiro, um pouco de viagem, algum mistério, um pouco de safadeza, algum uísque gelado com música de Anthony and the Johnsons, um pouco de saudade da mãe, alguma banheira de hidromassagem cheia de espuma e uma taça de vinho, um pouco de balada e pegação, algo de tudo, um pouco de cada pedacinho.

Por Lety

Convite à amizade: Galero, eu e a Naiara já pensamos algumas vezes em fazer um dia de encontro dos leitores. Um bar, com bebida, conversa fiada, fotos e risadas, uma reunião descontraída para que possamos conhecer pessoalmente vocês (infelizmente só os que moram em Moc City) ouvir suas conversas, trocar idéias, enfim, uma coisa bem divertida. Quem daqui topa essa vibe? Tem sugestões de onde fazê-la, etc e tal? =)

4 comentários:

C.P. disse...

Aaaah, eu não era de assistir tanto assim às séries. Mas quando assistia, viciava. Haha

Quanto ao convite, é uma boa ideia! Mas eu não sou boa pra sugerir lugares! ahuahauhau

Beijos!

6/11/10
Ceci disse...

Algumas das séries citadas, nunca assisti. E aquelas a que assisti quando criança - tipo Punky, a levada da breca - não me lembro muito. Vai entender, né... rs

Reunamo-nos! Todo mundo ao Planet Crepes... hehe...

6/11/10
Naiara e Letícia disse...

Dias atrás, Punky era reprisada no Canal Cultura. Nem sei se é mais. Mas tbm, apesar da saudade, já cresci muito pra vê-la, né.

6/11/10
gabriel disse...

bom, n fui eu qm votou, mas por solidariedade
eu tbm lembro de barrados no baile!

4/12/10