sábado, 19 de março de 2011

O dia em que saí de casa sem tomar banho


Há exatamente 01 ano atrás minha irmã me ligou bem cedinho convidando para acompanhá-la no seu exame de ultrassonografia. Ela já estava no último mês de gestação, e aquele seria o último exame antes do nascimento de minha sobrinha. Como o chamado foi de última hora, e seria algo que em minutos eu estaria em casa de novo, saí de casa sem meu valioso banho matinal e utilizando roupas assim, digamos, não tão jovens (estava desleixada mesmo, usando roupas velhas, prontofalei!!!).


Cheguei ao consultório e lá estava minha mãe e minha irmã com sua imensa barriga e seus pés arredondados, imensos de tão inchados. O exame começou muito bem, Ana Alice (minha sobrinha) estava lindona, saudável e gigante no barrigão de sua mamãe, para um bebê que ainda faltavam 22 dias para o nascimento. 

Logo no fim do exame uma cara estranha da médica fez minha mãe espremer minha mão como se fosse uma laranja sem sumo. Susto! E por indicação da médica da cara assustada saímos de seu consultório e já nos enfiamos no consultório da obstetra, por sinal no mesmo prédio. 

Aninha resolveu nascer naquele dia. E com essa notícia dada pela médica obstetra minha mãe ria esquisito, provavelmente de nervoso, e não parava de repetir que a gente tinha que acalmar minha irmã, que por sinal estava mais tranqüila que um monge budista. Saímos da sala da obstetra e fomos a pé mesmo direto para o hospital (era pertinho). Chega cunhado com olhos esbugalhados. Corre pegar mala da mãe, corre pegar mala da filha, não esquecer das lembrancinhas do nascimento. Internação, cirurgia, volta de minha irmã para o quarto. Minha pequenina sobrinha Aninha estava bem! Mas ficou no oxigênio alguns dias para o pulmão acostumar-se com a quantidade de ar fora do útero... quem mandou a moleca ser apressada?

Voltei para casa às 21:30h. Cansada, com muita fome e fedorenta, em razão de ter fica um dia inteiro sem banho.  

Ontem coloquei Aninha para dormir ao meu lado na cama. Fiquei velando seu cochilo por uma hora... Ela acordou, abriu os olhinhos e deu um imenso sorriso banguela pra mim. Escondeu o rostinho, voltou os olhinhos novamente pra mim e sorriu ainda mais gostoso. 

Essas e outras coisas transformaram aquele 19.03.2010 o dia fedorento mais feliz de minha vida! Hoje compartilho aqui com vocês um amor que nunca tinha sentido antes. Aquele pinguinho de gente me trouxe muita alegria!

Parabéns minha sobrinha pelo seu primeiro ano de vida!!!


Por Naiara

8 comentários:

Piu disse...

ai que fofora two!!! ela eh a sua cara! muito fofa! esses nenéns acabam com nosso coraçãozinho de abóbora...uauhauahua...

19/3/11
Naiara e Letícia disse...

Nem me fale Piu! Me derreto toda... Amo demais essa pequena!!!
Que bom que você a achou a minha cara! Estou me sentindo agora! hahahaha
Beijos

19/3/11
Anônimo disse...

parabéns a Aninha, pelo 1 ano de vida... há pessoas que entram em nossa vida e inesperadamente a modificam de uma maneira especial, trazem paz e esperança de algo melhor, ainda que não saibam disso... é engraçado, né?! adorei o texto. sei o quanto ela significa para você.

20/3/11
Naiara e Letícia disse...

Falo com propriedade que ela realmente trouxe muita paz e esperança pra mim!!! =D

20/3/11
C.P. disse...

É por esse motivo que posso me atrasar, mas não saio de casa sem tomar um banho! Não gosto de ficar incomodada o dia todo com a falta do banho. Em pensar que os europeus tomam banho uma vez na semana... Aff

Vi.

20/3/11
Naiara e Letícia disse...

Pois é Vi... Não saio de casa NUNCA sem tomar banho... Mas neste dia falo que nem fiquei incomodada com a falta de banho. Eram tantas emoções envolvidas que nem deu tempo de refletir sobre isso! hehehehehe

20/3/11
Denner disse...

Ná, sua sobrinha está linda, uma fofura!!! Que coisinha mais gostosa... dá vontade de morder!!! Saudades, amiga. Bjokssss. Cris

22/5/11
Naiara e Letícia disse...

Obrigada Cris!!! Tem que vê-la pessoalmente depois!
Saudades também amiga! Beijão

22/5/11